terça-feira, maio 31, 2005

Dia Mundial da Criança

Hoje dia Mundial da criança, a malta da maresia decidiu contar histórias...
Eu hoje vou contar a

HISTÓRIA DOS 3 PORQUINHOS



Numa bonita casa de campo viviam 3 porquinhos:

Prático, Heitor e Cícero. Quando não iam à escola, ficavam a brincar felizes e despreocupados no campo.
Ao escurecer, voltavam cansados e satisfeitos.
Em casa esperava-os a sua avozinha, que lhes preparava grandes bolos com natas e morangos.
Um dia, Cícero, o mais pequeno, propôs: «Agora que já somos grandes! podemos construi ruma casa só para nós e viver sozinhos! Cada um construirá a sua , a seu gosto.
Cícero não se queria cansar muito, pelo que considerou que bastariam uns tantos ramos e um pouco de palha entrançada para construir uma cabaninha fresca e confortável.
O Heitor, pelo contrário, pensou que uma cabana de madeira seria suficientemente confortável e resistente, e que não teria de trabalhar demasiado para a construir.
Prático queria uma casinha como a da avozinha. Por isso, carregou o carrinho de mão várias vezes com tijolos e cimento e pôs-se a trabalhar com muito afinco.
- Assim estarei resguardado do lobo, que de vez em quando sai do bosque.
De fato, veio o lobo e bateu na casinha de palha: Toc! Toc!
- Quem é? – perguntou a vozinha do Cícero. – Um amigo... abre!
- respondeu o lobo lambendo-se. – Não! És o lobo mau e não te vou abrir a porta!
- É assim é? – Rosnou o lobo rangendo os dentes.
- Vê então como abro a tua porta! – E de um sopro varreu a cabaninha fazendo rolar para bem longe o porquinho.
Enquanto Cícero escapava, o lobo foi bater à porta do Heitor:
- Abre, não te farei mal!
Heitor também não quis abrir, mas um par de sopros foram suficientes para destruir a sua casinha.
Muito esfomeado, o lobo bateu à porta da casa do Prático.
- Vai-te embora, lobão!
– Respondeu-lhe o porquinho.
Desta vez, o lobo soprou e soprou muitas vezes, mas a casinha, construída com cimento e tijolos era demasiado sólida até para ele.
Por fim o lobo mau ficou sem forças. Aborrecido, levantou o punho, ameaçando: - Por agora, deixo-te... mas depressa voltarei!
E vou-te comer de uma só vez.
Quando se fez noite o lobo voltou. Prático ouvi-o a trepar pelo algeroz para subir até ao telhado da casa.
Enquanto se metia pela chaminé, o lobo lambia-se já pensando no jantar à base de porquinho assado. Mas Prático, que tinha uma panela de sopa ao lume, atiçou a chama com toda a lenha que tinha.
O lobo já estava a meio caminho quando começou a cheirar a queimado: era a sua cauda que começa a chamuscar! Saiu pela chaminé e desapareceu uivando.
No dia seguinte, enquanto o pobre lobo, com a cauda entre as patas, continuava a fugir para o mais longe possível, a povoação celebrava a valentia do porquinho sábio e o retorno à tranquilidade.


Esta história tirei daqui .

Encontram uma versão interactiva para mostrar aos míudos aqui.

entretanto, podem ler as outras histórias no

Mente positiva

Desconhecida

Á Beira Mar

Colares

Arrumário

ParaSintra

Contra-Indicado

Não percam a foto do capuchinho vermelho do Pintado de Fresco. Não é para crianças...

A todas as crianças, desejo que fiquem sempre assim como são, mesmo quando crescerem.
Nós ficámos e somos felizes!

11 Comments:

Anonymous Cetus said...

Sempre gostei mais da Capuchinho Vermelho :) Feliz dia para todas as criancinhas.

9:03 da manhã, junho 01, 2005   Edit
Blogger NS said...

E eu semprei gostei de histórias com moral :)

9:21 da manhã, junho 01, 2005   Edit
Anonymous christina said...

Um grande abraço para as criancas
Portugues.
Bela iniciativa e desculpe de nao poder participar.

9:24 da manhã, junho 01, 2005   Edit
Anonymous Ademir António said...

E aí, seu Azenhas? Tudo legal? Aqui é Ademir António, de novo. Cara, cê é mesmo um cafageste-salafrário sem vergonha, não é mesmo? Essa história dos porcos eu a escrevi vai para mais de 23 anos, prós filhos do homem do talho. Eita, minino abusador, vijesantissima. Tu tá é com saudade da comida de hospital, não é mesmo? Vai rezando pró negão não te pegar. Vai rezando, cara. Tou brincando, não. Agora escafedeu-se a paciência. Cê tem santo?

10:14 da manhã, junho 01, 2005   Edit
Blogger Desconhecida said...

Ó azenhas este Ademir é demais...estás feito...qdo fores a fugir pelo bairro, eu quero assistir na plateia...e dps eu é que estou toda "queimada".
Bjs

11:11 da manhã, junho 01, 2005   Edit
Blogger Babies said...

Que todas as crianças de todo o mundo possam ouvir estas historinhas como nós as ouvimos um dia...
Um beijinho muito grande para todas as crianças e para nós tb, que afinal não passamos de crianças em formato grande ;)

OH,amigo explica lá quem é este ademir afinal????

2:56 da tarde, junho 01, 2005   Edit
Anonymous A. Duarte e Lázaro said...

Há versões politicamente correctas destas histórias fabulosas. Uma delas pelo escritor Jon Sciezka que nos conta a versão do lobo mau.
Depois há uma outra em que o Capuchinho vermelho faz um casaco de peles com o lobo e uma mala com os porquinhos. Aconselho a leitura. São fantásticas. Para miúdos e graúdos.

6:08 da tarde, junho 01, 2005   Edit
Anonymous NEGÃO said...

E AI SEU AZELHAS? TUDO JÓIA? AQUI É O NEGÃO. OLHA É SÓ PARA AVISAR QUE DERIVADO AO FALECIMENTO DJI MINHA TIA DORIVEIDA NÃO VOU PUDER IR ATRÁ DE CÊ HOJE, NÃO. PODE DORMIR SOSSEGADO, CARA. MAS AMANHÃ VOU TE PEGAR. SEU ADEMIR TÁ PEGANDO NO MEU PÉ. MI DISCULPE.
(CÊ SABE DE ALGUM MOTEL BARATINHO AÍ PARA OS TEUS LADOS? VÊ PARA MIM, VAI. ÓSDISPOIS FALAMOS)

6:32 da tarde, junho 01, 2005   Edit
Anonymous zezinho said...

Tenho ideia de que "os dias de" acabam por ser estigmas. Todos os dias deviam ser dias de tudo e de todos.
Ainda assim, feliz dia para todas as crianças.
Abraço

6:50 da tarde, junho 01, 2005   Edit
Blogger stillforty said...

Dia feliz, crianças!

10:11 da tarde, junho 01, 2005   Edit
Anonymous pinguim said...

Feliz Dia da Criança ;) Jinhos

11:19 da tarde, junho 01, 2005   Edit

Enviar um comentário

<< Home