terça-feira, dezembro 20, 2005

Conto de Natal das Azenhas



Era uma vez...
Um menino chamado Emanuel.
Vivia numa terra muuuuuito distante e era muito pequenino.
A família dele era muito pobre e alimentavam-se principalmente de mandioca, que cozinhavam numa panela na fogueira, no pátio da pequena casa que os abrigava dos animais selvagens.
O nosso menino era tão pequenino que não andava ainda.
Era tão pequeno que não sabia o que era a guerra.

Um dia, sem aviso, a guerra chegou mais perto da aldeia.
A calmaria da manhã foi quebrada por um silvo, logo seguido de um grande barulho.
Um obus caiu perto da aldeia. Com a explosão, o caldeirão da mandioca entornou-se e o nosso menino sofreu graves queimaduras nas pernas e pés até que alguém o tirou dali.

A aldeia era muito longe do hospital, mas mesmo assim o pai agarrou no menino e levou-o lá. Os médicos trataram-no o melhor que puderam com os medicamentos que não tinham. O menino sofreu muito e percebeu o que era a guerra.

Sete anos passaram, e os pés do menino nunca ficaram bons. Na época das chuvas, o menino não podia ir à escola pois os pés, deformados, faziam feridas que com a humidade não saravam e era muito difícil e doloroso caminhar. Os outros meninos já sabiam ler e escrever palavras, mas não o E. pois faltava muito à escola e como não podia brincar, os outros faziam pouco dele.

Levaram o menino ao hospital, mais uma vez.
Foram quilómetros que o levaram ao colo.
No hospital, dadas as feridas pensavam na amputação dos pés.

Foi então que o Pai Natal F, que era médico dos dentes num país mesmo aqui ao nosso lado, viu o menino.
Olhou outra vez.
Falou com os crescidos e convenceu-os a esperarem mais uns meses.
Tirou muitas fotografias aos pés do menino e radiografias.

Voltou a Espanha, que era onde vivia, e falou com muitos médicos, que achavam que conseguiam salvar os pés do menino.
Falou com muitos amigos que juntaram dinheiro para comprar a passagem de avião para o menino.
Falou com os pais do menino muitas vezes e convenceu-os a deixarem vir o menino a Espanha.

O menino veio e esteve a ser operado 16 horas, pois tinha os pés em muito mau estado.

O menino hoje já sabe ler, escrever, correr, brincar e sorrir.

Este menino, em breve, vai ter uma casa nas Azenhas, onde vai poder ir tomar banho no mar e correr na praia.

O Emanuel foi salvo por um homem bom, casado com uma mulher fantástica, com três filhos mais crescidos que receberam o Emanuel como um irmão.

Tenho muito orgulho em os ter conhecido.
Fizeram-me acreditar mais uma vez nos ideais do Natal.

Da minha janela...Um bom Natal.

Emanuel é um outro nome para o Filho Pródigo de Deus.
O Menino Jesus.

9 Comments:

Anonymous Anónimo said...

O poeta disse um dia: - O homem sonha, Deus quer, a obra nasce. Pode ser que qualquer dia o encontre por aí, no Xitas, no Loureiro ou na crista dum onda qualquer.
Jomalori

9:41 da manhã, dezembro 20, 2005   Edit
Anonymous contra-indicado said...

Se não fosse pela tragédia do E., diria que é o melhor conto deste Natal: é o melhor conto deste Natal! Abraços a todos. Feliz Natal!

1:21 da tarde, dezembro 20, 2005   Edit
Blogger Álex said...

não é que o Natl pode acontecer qualqur dia e sempre!
Afinal, viva o espirito do Natal!

2:52 da tarde, dezembro 20, 2005   Edit
Blogger Eterna Descontente said...

Oxalá todos os contos de Natal tivessem este final feliz...

Um Feliz Natal para o E. e para sua família!

4:17 da tarde, dezembro 20, 2005   Edit
Anonymous federico said...

el final del cuento de Navidad es que el mas feliz no es el niño de Angola,no,los mas felices son sus nuevos hermanos y sus padres españoles,porque conocer a este niño es lo mejor que le ha podido pasar.
Muchas gracias Pedro,amigo,te quiero de verdad,tu que tambien eres padre y que te conozco se que hubieras hecho lo mismo qie yo.
Espero que el cuento realmente acabe bien y todos pasemos muchos dias juntos en Azenhas
Un abrazo muy fuerte para ti, y tu familia y un muy muy feliz Natal,tambien para todos los leedore de tu magnifico blog.

5:53 da tarde, dezembro 20, 2005   Edit
Blogger As Musas said...

OLha isso não vale, tou a chorar pá!
Ainda agora ria de alegria com a tshirt amarela linda, linda e agora chego aqui e leio... aiiii.

Deus escreve certo por linhas tortas.

O Emanuel teve que sofrer muito até encontrar alguém de coração aberto que o amou e acreditou.
Obrigado a todas as pessoas de bom coração que dão tanta felicidade a tantos Emanueis no Mundo.
Um Feliz Natal para todos.

9:21 da tarde, dezembro 20, 2005   Edit
Blogger Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras said...

Pronto...já choro...mas é um belo conto de Natal.
Obrigada pro partilhares

11:29 da tarde, dezembro 20, 2005   Edit
Anonymous Françana said...

Obrigado pelo conto que nos faz acreditar que sempre que o Homem quer é Natal !
Festas Felizes no Espirito de Natal

12:48 da tarde, dezembro 22, 2005   Edit
Anonymous Planície Heróica said...

Um bom Natal para toda a gente aí em casa.

Um abraço,
Francisco Nunes

1:23 da manhã, dezembro 23, 2005   Edit

Enviar um comentário

<< Home