segunda-feira, julho 17, 2006

Só visto...Ecoponto Não funciona na Praia Grande



1ª Cena - take 1

Ano Lectivo do Primeiro Ciclo no ano de 2005/2006.
Objectivo: formar cidadãos que sejam sensíveis ao ambiente.
Explicar as vantagens e o ciclo da reciclagem.
Formar os pequeninos para estes levarem a mensagem às familias.
Em casa, separa-se o papel, as embalagens, o vidro, as pilhas e o óleo usado.

2ª Cena - take 1

Sexta feira ao fim da tarde.
Praia Grande cheia de pessoas e de água pois estava maré cheia.
Encostados à muralha, estão os novos ecopontos.
Estão cheios de indicações (e boas intenções) sobre como usar e separar o lixo que se faz na praia. Quem se aproxima, olha com atenção e escolhe o saco apropriado ao lixo que vai deitar fora. A consciencia da reciclagem, após várias campanhas, parece implantada na cabeça de todos.

3ª Cena - take 1

De todos?

Não.
Existe quem resista e deite por terra todo este esforço.

Sexta feira ao fim da tarde.
Praia Grande cheia de pessoas e de água pois estava maré cheia.
Encostados à muralha, estão os novos ecopontos.

Vem o responsável de praia pela recolha do lixo e simplesmente despeja todos os sacos de várias cores para UM ÚNICO SACO cor de laranja, misturando todo o lixo e deitando por terra o esforço de milhares de pessoas para reciclarem o lixo que fizeram.

Pergunto eu:
Quem e como recolhe o lixo dos ecopontos?
Onde é armazenado? Como é tratado?

Fiquei triste, mas não irei destruir a esperança do meu filho na reciclagem.
Não lhe contei. Contei a vocês para fazermos alguma coisa.

A quem se deve relatar esta situação?

12 Comments:

Anonymous NS said...

É uma situação realmente triste e prejudicial para todo o esforço que se faz. O pior é que quem, como tu, viu esse acto poderá ficar a pensar que toda a separação de lixos não passa de uma enorme hipocrisia e simplesmente não se preocupar mais com isso.
Por acaso tive este semana na Praia Grande, fiquei contente com os ecopontos e deitei lá lixo de acordo com o devido.

A empresa responsável pela recolha/separação de lixos no concelho de Sintra, bem como Lisboa, bem como Oeiras, Cascais e Mafra é a Tratolixo e essa situação deverá ter sido contra as suas instruções (talvez desleixo do empregado? Falta de Meios?)

Poderá consultar-se em http://www.tratolixo.pt/

12:00 da tarde, julho 17, 2006   Edit
Anonymous NS said...

Correção:

A Tratolixo só faz o tratamento. A entidade responsável pela recolha é a empresa municipal HPEM. E será falha desta empresa ou do seu empregado. (www.hpem.pt)

A nível nacional, a entidade responsável pelo tratamento é a GEOTA (Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e ambiente (www.GEOTA.PT e /www.omeuecoponto.pt)

12:10 da tarde, julho 17, 2006   Edit
Blogger pedro macieira said...

Realmente é lamentável que os efeitos positivos na sensibilização junto das crianças , nao se reflita nas entidades/pessoas que deveriam ser responsáveis em garantir estes procedimentos. Mas quem fiscaliza?

2:31 da tarde, julho 17, 2006   Edit
Anonymous Beatriz said...

é triste e reflexo do país que temos.
mais uma curiosidade: 80% do lixo que colocamos para reciclar NÃO É RECICLADO (e não mostres isto ao teu filho!)..simplesmente porque não temos infraestruturas para o fazer! vontade e esforço das pessoas há (e muito) mas não há instalações em quantidade proporcional à quantidade de materiais colocados para reciclar.
ou seja, a "reciclagem vai directamente para o lixo!"

2:41 da tarde, julho 17, 2006   Edit
Anonymous Françana said...

Eu acho que isto sò visto ! Contado ninguém acredita !!!
E eu que estou quase a chegar ao meu rico paìs !...
Que tristeza !
Claro que penso que não é so na Praia Grande, que isso acontece, não é ?!?
mas vou na mesma pôr o lixo no saco da sua categoria, como se não soubesse ...

4:09 da tarde, julho 17, 2006   Edit
Blogger A Rapariga said...

Ai! Quem sabe?

8:23 da tarde, julho 17, 2006   Edit
Anonymous Carla Constantino Gama said...

Atenção... qualque dia há gincana de cócós de cão na praia pequena. Bem sabemos que aquela praia não tem vigilância, mas está-se a tornar um verdadeiro nojo. E a afluência de pessoas tem sido enorme.

9:03 da tarde, julho 17, 2006   Edit
Blogger CdaPluma said...

Pedro,
A tua atitude é um exemplo, não basta ver um problema mas acima de tudo procurar uma solução. Na grécia antiga apenas a alguns era dado o privilégio de participar na vida da Polis. Aqueles que tinham esse direito, e não o exerciam, eram chamados de "idiotis". Tu, meu amigo, não és nenhum "idiotis".
Um grande abraço.

12:41 da manhã, julho 18, 2006   Edit
Blogger totoia said...

Já me tinham dito que o mesmo se passa com o pilhão, pois não há equipamentos para tratar esse lixo, agora com o lixo normal ainda me fico mais preocupada.

10:19 da manhã, julho 22, 2006   Edit
Blogger totoia said...

Já agora, em relação ao comentário da carla constantino,não é só na praia pequena que se vão começar a fazer gincanas, mas tb nas ruas, as pessoas são muito limpinhas e vão passear a rua com os seus animais, deixando por todo o lado o que eles fazem. Se isto não é uma falta de respeito com o próximo o que será?!

10:22 da manhã, julho 22, 2006   Edit
Blogger Desconhecida said...

Já vi fazerem isso com os ecopontos que estão nas localidades. É triste, mas é assim...agora, sendo se é assim, não entendo qual é a lógica de fazerem campanhas a favor da separação do lixo para reciclar....

10:40 da tarde, julho 24, 2006   Edit
Blogger HPEM said...

Agradecendo a preocupação dos munícipes na correcta intervenção no que respeita aos resíduos, a reclamação foi encaminhada para o Departamento competente da Câmara Municipal de Sintra, no sentido de instruir os concessionários a efectuarem a separação correcta dos resíduos, tal como está a ser feito nas outras praias do Concelho. A HPEM – Higiene Pública, EM é apenas responsável pela recolha dos resíduos colocados no contentor, no entanto, continuamos atentos a falhas que possam ocorrer no correcto encaminhamento e separação dos resíduos.

HPEM – Higiene Pública, EM – 21/07/2006

11:12 da manhã, agosto 01, 2006   Edit

Enviar um comentário

<< Home