sexta-feira, agosto 25, 2006

O pescador e as Azenhas....



De repente, um papparazi encontra o Marco a vir da sua pesca.
Uma foto de Fernando Machado.
A ver aqui.

Marco, esta passou-te ao lado.
Alguém que avise o rapaz.

Da minha janela, bom fim de semana.

quinta-feira, agosto 24, 2006

Emoldurar o Pôr do Sol...



"Um grupo de pessoas reuniu-se para ver o pôr-do-sol, com um estranho objecto nas mãos. O desafio era criar uma obra de arte no colectivo. Azenhas do Mar, perto de Sintra, foi o local escolhido.

SIC


Nas Azenhas do Mar, a olhar o céu. Ou melhor: o sol.

Algo que um grupo de mais de vinte pessoas já viram vezes infinitas e que agora experimentaram ver de novo, com uma pequena ajuda de artista. Trata-se do “Olho Número 3” e faz parte dos objectos de errância que Marta Wengorovius tem andado a criar.

“Quis experimentar uma coisa que me interessa bastante que é a ideia da luz”, revela a artista.

Neste caso, à hora em que o sol se põe, a luz dá a tudo uma espécie de “patine” a que Marta chama pintura. Para a contemplar, a artista inventou a moldura ideal.

“A ideia é poder pegar nela e encontrar nos sítios já a pintura feita dessa forma”, explica Marta Wengorovius.

O evento começou com 25 pessoas à procura de um objecto e de um lugar ao sol. Depois houve cerca de sete minutos de silêncio, numa experiência singular, mas feita em grupo.

“Fiz esta tentativa de experimentar o que seria fazer um obra no colectivo, no sentido em que a contemplação no colectivo é uma coisa um pouco estranha”, reconhece a artista.

Esta performance é uma das faces do trabalho de Wengorovius. O outro lado está em exposição no Art Room, em Lisboa, um novo espaço de apresentação de artistas plásticos.

Um trabalho de longo prazo que está a ser fixado em documentário e livro e que há-de ser mostrado no próximo ano."

-----------

Estava tranquilamente a ver o jornal da SIC e vejo a casa Branca de Raúl Lino, linda ao pôr do sol, com "adoradores do sol" de disco laranja nas mãos.
Há coisas fantásticas, não há?

terça-feira, agosto 22, 2006

...Durante a minha ausência.


foto de Paulo Azevedo


...Durante a minha ausência aconteceu de tudo nas Azenhas.

O Café do Mar, fechou definitivamente as portas.

As festas das Azenhas foram um sucesso, especialmente nas vacadas nocturnas, que atraíram muita gente nova que nunca tinha levado uma marrada na vida. Foi de certeza a primeira de muitas.

O João Pedro e o Rodrigo, do Restaurante Piscinas das Azenhas do Mar, fizeram obras na piscina pública e criaram uma esplanada e um pequeno bar de apoio aos veraneantes.

São pessoas assim, com iniciativa, que vão fazer as Azenhas do Mar crescer.

A piscina a que quase ninguém usava é este verão o ponto de (re)encontro das pessoas com o mar. Esta iniciativa não teve apoio financeiro de nenhum organismo público.
Obrigado aos dois pela iniciativa e espero que tenham o devido retorno financeiro, pois sem ovos não se fazem omeletes.

O Parque Natural Sintra-Cascais, conforme leram aqui, encerrou o Café MiraAzenha, no parque de estacionamento com melhor paisagem do mundo, pois poderia cair cheio de turistas até ao mar.

A Dona Lina, proprietária do MiraAzenha, lançou um folheto nas Azenhas com um apelo: Tem a hipótese de construir um novo café no parque de estacionamento, obviamente mais para trás. Precisa de um sócio com capital para investir, pois dinheiro não tem. A análise que faço, pessoalmente, do negócio é que pode dar um bom lucro e consigo imaginar uma construção em madeira, como as novas casas pré-fabricadas, Que nos dê abrigo do vento norte e nos permita ver o mar.

Um sonho. Se houver alguém por aí que queira participar nele é só passar pelas azenhas e ver os papeis que a D. Lina espalhou por lá. É uma oportunidade ÚNICA de INVESTIMENTO.

Manter um blog é um passatempo que se faz com paixão.

Escrever diariamente passa a ser tão natural como tomar um cafézinho de manhã.
Quando se quebra rotinas, aproveita-se para reavaliar comportamentos, e como já não moro na localidade, já não tenho tempo para me manter informado de tudo o que se passa nas Azenhas.

Quem quer escrever aqui? As portas estão abertas, e a intenção inicial do blog das Azenhas mantém-se: escrever sobre a paixão e o efeito da maresia das nossas vidas.

Enquanto não aparecer mais pessoas que queiram escrever, este blog vai passar definitivamente a um formato de actualizações QDQ, i.e. vai ser actualizado Quando Deus Quiser.

Obrigado mais uma vez a todos os que passaram por este cantinho e se dão ao trabalho de comentar. Os comentários são um estímulo muito importante para quem escreve.

Graças ao blog das Azenhas conheci muita gente interessante.

Cresci como pessoa, gritei a minha paixão e exorcizei os meus demónios, perdi alguns amigos e ganhei outros. Fui injuriado e elogiado. Espiado e admirado. Em suma, vivi a minha vida publica de uma nova forma. Mas vou seguir em frente, pois a vida é feita de mudanças suaves e mudanças bruscas. Sinto falta da minha privacidade.

Da minha janela, aquele abraço.

sexta-feira, agosto 04, 2006

O Senhor que se segue

Antes de mais obrigado pelo convite para participar no Azenhas.

Parece que fomos invadidos por uma maresia que não vêm do mar mas sim de terra.

A queda de uma rocha no Magoito fez "tremer as azenhas" e vieram cá uns Senhores e toca de fechar o nosso Mira Azenha.

Segundo dizem os habitantes mais conhecedores da nossa região a nossa encosta nada tem a ver com a rocha que existe no Magoito (esta é de areia) a nossa é de pedra e terra.

Fazemos a pergunta que todas as pessoas já fizeram.

Porque não reparam a arriba?

Privar que nos visita de poder relaxar sentado numa esplanada a ver o mar e sentir o cheiro dele, poder observar o pôr do sol.

Numa aldeia onde o emprego abunda, para que mais empregos?

É mais facil e barato fechar, do que reparar.

Qualquer dia pelo andar da carruagem a estrada tambem é fechada.

terça-feira, agosto 01, 2006

A Higiene Publica esclarece!

"Agradecendo a preocupação dos munícipes na correcta intervenção no que respeita aos resíduos, a reclamação foi encaminhada para o Departamento competente da Câmara Municipal de Sintra, no sentido de instruir os concessionários a efectuarem a separação correcta dos resíduos, tal como está a ser feito nas outras praias do Concelho. A HPEM – Higiene Pública, EM é apenas responsável pela recolha dos resíduos colocados no contentor, no entanto, continuamos atentos a falhas que possam ocorrer no correcto encaminhamento e separação dos resíduos."

HPEM – Higiene Pública, EM, em resposta a este post.

Viva a democracia e obrigado à HPEM pelo esclarecimento e intervenção.